Institucional

O Centro Clínico Sudoeste-CCS, inaugurado em 2003, é um dos maiores complexos de saúde de todo o Distrito Federal. Busca oferecer atendimento especializado de alto padrão nos segmentos de medicina, fisioterapia, odontologia, laboratorial, tratamentos estéticos, nutrição, condicionamento físico entre outros. Há uma farmácia de manipulação, um SPA urbano e comércio em geral relacionado a área de saúde como colchões especiais, ótica, suplementos alimentares e cosméticos.

Temos mais de 90 empresas em funcionamento, gerando mais de 1000 empregos diretos. Além disso, estima-se uma circulação de mais de 3 mil pessoas por dia. O prédio é composto por 139 salas e tem mais de 8000 m2 de área construída. Diferente do que muitos pensam, é um condomínio. Ou seja, com assembleias regulares e administrado por um(a) síndico(a) eleito(a) . Não há um dono único ou acionista majoritário.

Localizado no Setor Sudoeste, um dos bairros mais nobres de Brasília, área de classe média alta e população jovem, o prédio é vizinho ao HFA – Hospital das Forças Armadas. O CCS é o maior prédio comercial do Sudoeste, ficando atrás apenas do Terraço Shopping em nossa região administrativa-RA XXII (Octogonal-Sudoeste). Está construído na SHCSW (Setor Hospitalar) onde atualmente há um posto de gasolina no lote 01 e nos lotes 3,4 e 5 o Centro Clínico Sudoeste.

A 25ª Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) de 2012, indicou o Sudoeste/Octogonal como uma das poucas regiões administrativas a ter infraestrutura completa. Toda a área é atendida pelo serviço de coleta de lixo pública, pela rede geral de esgoto sanitário, pela rede de abastecimento de água, além de contar com asfalto e iluminação pública.

Criado em 10 de julho de 1989, como parte integrante do Projeto “Brasília Revisitada”, do urbanista Lúcio Costa, o Sudoeste foi projetado para dar moradia de qualidade a mais de 50 mil habitantes, em uma área de aproximadamente 5,6 milhões de metros quadrados. A região está situada próxima ao Parque da Cidade e dispõe de diversificada atividade comercial – supermercados, restaurantes, bares e padarias, saúde, moda e estética instalada em 37 comércios locais e também instituições de ensino e sociais. As quadras residenciais contam com vários espaços públicos destinados ao lazer e entretenimento, bem equipados e conservados, dispondo de áreas de esporte como quadras poliesportivas, de areia e playground. São 435 modernos edifícios de alto padrão para seus habitantes.

Segundo a CODEPLAN(Companhia de Planejamento do Distrito Federal ), em sua PESQUISA DISTRITAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS – SUDOESTE E OCTOGONAL – PDAD / outubro 2014, o número de domicílios urbanos estimados é de 22.259 e, considerando que a população urbana estimada é de 52.738, a média de moradores por domicílio urbano é de 2,37 pessoas. Na Região, a totalidade das construções é permanente; 73,97% dos domicílios são apartamentos e 24,81% são quitinetes/estúdio. Não existem casas na região.

As facilidades urbanas e sua localização próxima do centro de Brasília fez o Setor Sudoeste ocupar a posição de 8º bairro mais caro do Brasil em 2012 segundo a Revista Época. O setor reúne moradores de classe média alta e imóveis de alto valor de mercado.

Em junho de 2015, o Setor Sudoeste possuía o metro quadrado (m2) mais caro do Distrito Federal segundo o Índice de Velocidade de Vendas (IVV), em torno de  R$ 17.750. Em seguida vêm a Asa Norte, em R$ 15.026, e Asa Sul, em R$ 14.742. Também é considerado um dos bairros mais caros do Brasil além de possuir sozinho elevadíssimo IDH regional. O IVV, é divulgado mensalmente pela ADEMI-DF(Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal)

Fonte: Correio Braziliense / Condomínio do Centro Clinico Sudoeste/wikipedia/Codeplan-DF/ADEMI-DF

 

PLACA SUDO

sudoeste 101#27032016bm

Apesar de ser um local arborizado, os moradores do Sudoeste reclamam da falta de cuidado com Ქa verde.Av. principal do Sudoeste,20150429011340